PERGUNTAS FREQUENTES


O que é bilhetagem eletrônica?

A bilhetagem eletrônica é a forma automatizada utilizada para o recebimento dos créditos das tarifas do transporte coletivo urbano. No sistema de bilhetagem as passagens são pagas através de cartões eletrônicos (LEVA) que, ao serem apresentados aos equipamentos instalados no interior dos ônibus (validadores), irão efetuar o debito da tarifa, liberando a catraca para a passagem do usuário.

Esse sistema utiliza cartões que possuem informações de identificação do usuário e que armazena os valores dos créditos que neles são depositados. Além disso, o passageiro poderá acompanhar a operação pelo visor do validador, que mostrará o saldo restante do cartão.

Entre as vantagens da bilhetagem eletrônica estão agilidade, já que não é mais preciso aguardar pelo troco e o cartão é sem contato, o ajuste das linhas aos horários de maior e menor movimento além da segurança para usuários e funcionários das empresas, uma vez que os ônibus passam a circular com menos dinheiro.


O que é o LEVA?

É o cartão do Sistema de Bilhetagem Eletrônica de Caruaru. É durável, de leitura rápida e inteligente, uma vez que armazena os créditos em dinheiro para o pagamento de passagens.


Como obter o cartão leva?

Para ter direito ao LEVA, o usuário deve ir ao 3º andar do Shopping Difusora, para realizar o seu cadastro, portando cópia da Identidade, CPF, comprovante de residência, comprovante de matrícula relativa ao ano vigente (para Cartão Estudante), Laudo Médico atualizado, com CID (para Cartão Especial), último contracheque (para Cartão Servidor). Para o Cartão Vale Transporte os dados devem ser informados pelo empregador, através de e-mail (cadastro@aetpc.com.br) devendo informar o número do CNPJ, número de funcionários e nome da pessoa que ficará responsável pela recarga dos cartões.

O Cartão LEVA Comum assim como os cartões Servidor e Estudante são gratuitos, para validar os cartões é necessário fazer uma recarga mínima de 5 (cinco) tarifas vigentes, que são convertidas em créditos.


Se perder, danificar ou roubarem o meu o cartão LEVA?

Você deve enviar um e-mail para cadastro@aetpc.com.br e solicitar o bloqueio do cartão e solicitar a segunda via. Para a emissão da segunda via dos Cartões LEVA é cobrada uma taxa equivalente a 5 (cinco) tarifas vigentes.


Em caso de extravio, roubo ou danificação, eu perco meus créditos?

Não. Após a comunicação ao Setor de Atendimento do Cartão LEVA, seu cartão será bloqueado, com início do bloqueio após a meia noite do dia da notificação. Importante: Eventuais utilizações entre o período da notificação e o bloqueio efetivo do cartão ainda serão de responsabilidade do cliente, dada a inviabilidade técnica de proceder o bloqueio de forma instantânea, sem que todos os ônibus estejam na empresa.


Com a implantação do Leva, o cobrador do ônibus será mantido?

Sim, o cobrador será mantido, pois ele será responsável pela operação do equipamento (validador), recebimento dos pagantes em dinheiro e conferência dos cartões que possuem gratuidades: portadores de necessidades especiais, operadores do sistema e idosos.


O que fazer quando o cartão apresentar problemas de leitura?

Pague a tarifa em dinheiro ao cobrador e dirija-se ao Ponto de Atendimento, localizado no Shopping Difusora, tendo em mãos o cartão, um documento de identificação, para verificar o problema apresentado.


Quem tem mais de 1 emprego terá que ter mais cartões Vale Transporte?

Sim. O cartão Vale Transporte é o único cartão que não está associado ao usuário e sim a empresa e/ou empregador. Por isso, o usuário do Vale Transporte pode possuir mais de um Cartão LEVA Vale Transporte.


O Cartão Vale Transporte poderá ser utilizado mais de uma vez na catraca, ou seja, poderá ser ter uso seguido na mesma viagem ?

O cartão Vale Transporte é um benefício estabelecido por Lei Federal que garante ao trabalhador o seu percurso casa/trabalho/casa. Qualquer outra finalidade descaracteriza o objetivo a que foi concedido ao trabalhador.


No caso do Cartão Estudante, como será o critério de Recarga ? Podemos colocar quanto no cartão?

O limite para o Cartão Estudante, permitido no decreto nº 112/2013, que instituiu a bilhetagem eletrônica, é de 50 (cinquenta) ou 100 (cento) créditos.


Como utilizar o cartão no ônibus?

Quando utilizar o ônibus, o usuário deve aproximar o cartão do validador e um crédito será descontado. Com isso, a catraca será liberada automaticamente. Em seguida, o número que aparecerá no visor mostra o saldo restante no cartão.


Quais as vantagens do Sistema de Bilhetagem Eletrônica?

Melhor controle da circulação de passageiros nos ônibus, bem como monitorar e planejar a operação do Sistema de Transporte Público de Passageiros de Caruaru;

Redução no tempo de embarque: uma vez que o cobrador não terá problemas com a demora do troco;

Maior segurança nos ônibus e terminais em virtude da redução do volume de dinheiro em moeda circulante, evitando roubo e assalto;

Possibilidade de bloqueio do cartão com a recuperação dos créditos não utilizados;

Agilidade e segurança nos procedimentos de compra e distribuição do benefício do vale-transporte pelas empresas;

Melhor gerenciamento do sistema de transporte coletivo possibilitando prestar melhores serviços aos usuários;


A empresa deve recolher mensalmente os cartões de seus funcionários para recarga dos créditos?

Não, uma vez entregue os cartões aos seus funcionários, eles recebem os créditos adquiridos pelos empregadores, diretamente nos ônibus, no momento da apresentação no validador.


Como faço para obter o Cartão Vale Transporte?

Somente a empresa em que você trabalha poderá solicitar os créditos do seu Cartão Vale Transporte. Caso sua empresa ainda não forneça Vale Transporte, procure seu empregador e lhe informe sobre as vantagens.


Posso emprestar meu Vale-Transporte?

Não recomendamos esta prática pois qualquer má utilização do cartão pelo terceiro será de total responsabilidade do titular do cartão. O cuidado com o VALE TRANSPORTE deve ser o mesmo dispensado a um cartão de banco. “A declaração falsa ou o uso indevido do Vale-Transporte constitui falta grave”, conforme Lei nº 4.718 de 16 de Dezembro de 1985 – Art. 7º § 3º. Inclusive passível de demissão por justa causa.

Após a liberação da catraca, há limite de tempo para girá-la? Se houver, o que acontece se ela não for girada dentro do tempo limite?

Sim, há um limite de 15 (quinze) segundos. Após este período o Validador voltará ao status padrão, isto é, aguardando a aproximação de qualquer cartão. Caso isto aconteça o usuário deverá apresentar novamente o cartão no Validador para liberar a catraca em seguida. Nesse caso, duas passagens serão descontadas do Cartão LEVA.